6.5.06

Claustrofobia


Não me peçam para fechar os olhos,
não me mandem calar a minha boca!
Não me ofereçam nenhum tipo de prisão
que eu não possa eu mesma criar!
Minha claustrofobia é imensa,
me sinto sempre sem ar,
mesmo que o mundo seja grande demais pros meus pés.
Quando quero criar asas, peço emprestadas as do avião,
mas queria mesmo ser uma borboleta.
Amarela, pra dar sorte!
Não me digam que não tem pote de ouro no final do arco-íris.
O ouro não me interessa, mas não consigo acreditar
que ele não exista.
Minha imaginação é imensa,
me sinto sempre sem chão,
mesmo que o mundo seja real demais pros meus pés.
Quando quero criar asas, eu fecho os olhos,
mas não me peçam para fechar os olhos...

2 comentários:

COM E SEM SENTIDO disse...

Obrigadão pelo comentário Nat. Continue colocando suas idéias loucas aqui também, pois sem dúvidas a força que move o mundo não é a dos conformados, mas a dos "eternos insatisfeitos" e dos inconformados com algo que está explanado e ninguém vê ou questiona.

COM E SEM SENTIDO disse...

Nat, mais uma vez obrigado pelo elogio. São raras as vezes que isso acontece e é sempre animador. Poxa, gostaria q vc tirasse uma dúvida. Como vc fez para colocar todas as publicações na mesma página? Meu blog só permite no máximo sete (7) textos. Os anteriores vão sumindo e vão para a pasta do mês. Será q vc consegue quebrar essa? Bjão.