28.9.07

Insônia, Wanessa e as borboletinhas...


Há alguns meses eu adquiri um péssimo hábito: o de só conseguir dormir com a televisão ligada, embora em baixíssimo volume e em canais desinteressantes, porque senão acabo prestando atenção e aí que não durmo mesmo. Mesmo aqui em casa tendo sinal de parabólica, de vez em quando eu tenho alguns problemas em achar um canal na madrugada que seja chato, mas não seja de pastores esbravejando a sua fé. Geralmente eu deixo a TV no canal de compras, e foi o que eu fiz ontem.
Quando eu já estava engatando no sono eu comecei a ouvir uma voz daquelas que você imagina que a pessoa esteja fazendo biquinho e caras e bocas pra falar daquela maneira. As pessoas consideram minha voz sexy, eu brinco que posso ganhar dinheiro com um Disque-sexo, mas, sinceramente, o que eu ouvi ontem era demais... A voz da mulher até era realmente muito bonita, mas eu percebi que eu jamais ganharia dinheiro com isso, porque precisa toda uma performance para soar daquela maneira, e o pior, a moça em questão chamava o "telespectador" de safadinho... Meu Deus, eu pensei, vou ter que ver isto.
Sentei na cama, coloquei meus óculos, e o que eu vi gente, foi realmente hilário, conseguiu me fazer dar boas risadas já altas horas da madrugada. O nome da moça em questão era Wanessa, e ela estava vestida com um espartilhozinho, uma cinta-liga e uma calcinha brancas, com um hobby de cetim vermelho e plumas nos ombros e um véu, estilo odalisca, dos mais bregas que já vi na vida. Aos marmanjos de plantão posso dizer que a moça, apesar de tampinha, era gostosa e o programa se chamava Mundo Erótico TV. Entre inúmeros safadinhos pra lá e pra cá, ela vendia de tudo um pouco, desde vibradores anatômicos e rebolativos até vaginas para colocar em água morna pra ficar quentinha, e mais minha gente, ela assegurava que era igual a dela. Um luxo! Aonde mais eu poderia aprender que esses brinquedinhos são feitos de Cyber Skin, uma pele cibernética muito semelhante à humana que possui maciez e temperaturas adequadas às mais diversas perversões que se possa imaginar, isso tudo falado na voz mais mansa e nas posições mais ridículas que já pude assistir, e olha que em matéria de material pornográfico eu já vi muita coisa.
E não parou por aí. Depois ela mostrou uma infinidade de vibradores de todos os tipos, tamanhos e cores, e depois entrou num mundo animal, que eu sinceramente achei que por engano tinha colocado no Animal Planet, porque eram coelhinhos, gatinhos, e por fim, as interessantes borboletinhas, com cintas acopladas para prender na vagina e milhões de fios e botões para ligar aqui, aumentar a intensidade ali, virar para todos os lados imagináveis, enfim, acabei me lembrando de uma amiga que me disse para não ter um vibrador que eu iria levar um choque.
Sim, amiga, eu levei um choque, mas não foi com o vibrador... Quando eu achava que já tinha visto o suficiente, a querida Wanessa me apresentou o TensorDin, um aparelho tensionador de pênis, descrito como uma poderosa máquina que acoplada facilmente ao pênis flácido de um pobre coitado qualquer, promete aumentar de 2 a 3 cm a cada cinco meses de uso regular, e a Wanessa garante que o homem pode colocar aquele troço e dirigir e trabalhar normalmente. Depois aparece um vídeo explicativo contando como a reprodução das células provocada pelo tensionador é igual a que alguns índios (brasileiros inclusive) conseguem para ter aqueles lábios gigantescos, e aqueles pescoços de girafa. Viram? O Mundo Erótico também é cultura.
Já satisfeita com os meus conhecimentos, deitei novamente, e quando eu já estava quase pegando no sono, eu ouço Wanessa dizendo: _Ligue já e comece sua nova vida!!!!!
Começar uma nova vida foi a única coisa inteligente que Wanessa disse nesta noite

2 comentários:

dhfbjv disse...

Pode até ser meio babaca o pragrama, mas vale uma bela punhetinha durante a madrugada!

Zuleido disse...

Pior que o "Programa Mundo Erótico TV" somente os religiosos, tanto faz se for programa católico ou programa evangélico.