19.3.08

Vidas que nunca tive

Toda vez que o semestre da faculdade recomeça e vejo um professor novo já penso logo naquela terrível mania de se apresentar a todos na sala. A maioria eu já conheço desde o começo, há quatro anos, e mesmo assim tenho que repetir aquela ladainha toda, que há muito eu preparei e decorei para essas ocasiões: "Meu nome é Natalia, tenho 25 anos, sou bancária e odeio meu trabalho. Larguei um curso politécnico no último período e resolvi fazer faculdade de Produção Cultural porque era o curso mais abrangente que existia e eu sou uma indecisa por natureza, e também porque quero direito à cela especial quando for presa, porque certamente o serei um dia."

Eu tenho uma versão B também, mas nunca tive coragem de dizê-la, seria algo assim: "Meu nome é Natalia, tenho 25 anos, comecei a fumar maconha e cheirar cocaína aos nove. Aos 12 tive que começar a me prostituir para garantir meu consumo, mas a grana era pouca e comecei a traficar. Fui presa aos 15 porque matei dois caras que queriam abusar de mim, mas cumpri 1/6 da pena e estou em regime de liberdade condicional. Depois das aulas eu tenho que voltar pra dormir na prisão. Resolvi fazer faculdade de produção cultural porque era o vestibular mais fácil que achei, e ainda dava pra tirar uma onda com as garotas da cadeia."

Tô pensando em completar a versão B com uma frase do tipo: "E o pessoal da cultura se amarra nessa coisa meio, como dizem? Underground na minha vida. Dizem que é fashion, cult e que eu ganharia rios de dinheiro escrevendo um livro..."

3 comentários:

Samoça disse...

Oi Nat,


Boa!!!

Beijo.

Malu disse...

Boa a versão b, hehe..

=P

Anônimo disse...

Tai, Nat...
Vc devia escrever um livro sobre a Nat opção B. Seria interessante ler a sua visão sobre um personagem do tipo. Diferente, óbvia, de uma autobiografia. Mas permitiria muitas viagens. Vc teria total liberdade para criar situações e reações, ambientes. Brincar com os caracteres psicológicos do personagem. E como sugestão: crie outros personagens seguindo uma lógica semelhante. Tipo "opção b" das pessoas do seu universo. Bj