10.4.08

O Chicote e os Evangélicos

Quando olhei o apartamento onde eu moro hoje, me apaixonei. Foi paixão mesmo, à primeira vista, pelas janelas. Grandes, enormes, gigantes janelas. Não importa se está muito sol, ou uma tempestade colossal, minha janela está sempre aberta. Gosto de ar fresco, circulante.

Estava tudo indo muito bem, quase um ano de paixão correspondida, eu e minha janela. Aí um dia, entrou uma música junto com o ar fresco. Era uma música até legal, bem tocada, o problema é que nem todo mundo entende que música instrumental às vezes é infinitamente mais interessante. Quando começaram as letras, foi o fim. Elas falavam de Deus, não abandone Deus, segure na mão dO Senhor, etc etc e tal... Foi aí que o inferno começou...

Toda quarta à noite e todo Domingo de manhã percebi que meus vizinhos da frente, separados de mim por uma rua relativamente larga, faziam um culto na sala deles que entrava direto pela minha janela. Eles respeitavam o horário de silêncio, então certamente não me restava muito a fazer, a não ser fechar minhas janelas para não ouvir aquela música infernal (desculpe-me a heresia, Senhor).

Por falar em janelas, me lembrei de um episódio super engraçado que tinha acontecido no outro apartamento onde eu morei. Uma das minhas amigas só trocava de roupa no quarto, que tinha um janelão de cara pro outro apartamento. Eu tentei falar com ela, mas enfim, ela gostava da exibição mesmo, até que um dia ela lá feliz e contente trocando de roupa, eu entro no quarto e dou um grito: _ Fecha essa janela agora!!!!! Ela, meio assustada, olhou pra janela e viu um cara da Prefeitura podando a árvore da frente na mesma altura que ela e a um metro de distância, de camarote. Tenho certeza que ele se sentiu o cortador de árvores mais sortudo da cidade naquele dia.


Pois bem, voltando ao assunto, eu não ia ceder assim tão fácil, não sem antes lutar com todas as minhas armas, resolvi sacanear os Homens de Jesus. Comecei a sair do banho de toalha e vir dar uma passeada pelo quarto. Luzes acesas, janela aberta, como sempre, consegui que eles ficassem uns dois minutos sem tocar, nada além disso. Não ando com essa bola toda, pelo visto.

Aí comecei a circular só de calcinha pela casa. Nos primeiros dias os caras deram uma, duas, três olhadas, eu fingia que não via, dava uma espiada pelo espelho, e nada, eram só uns minutos de sossego enquanto eles fofocavam sobre a minha vida, depois voltava tudo do normal.

Depois de um mês eu vi que eu me divertia à beça com a cara deles, mas não conseguia que eles parassem de tocar. Desisti e passei a fechar as janelas nos dias do culto.

Alguns meses depois, eu até já tinha me esquecido do episódio, dei uma olhada pela janela e vi duas moças conversando, enquanto os caras tocavam. Na mesma hora eu tive a inspiração. Peguei meu radinho, coloquei Pink Panther Théme pra tocar na maior altura possível na janela, abaixei a luz, liguei o abajur de luz vermelha que tenho na cabeceira para ocasiões estratégicas, e peguei um chicote desses comprados na Sex Toy Shop (que ainda estava fechado no plástico por falta de oportunidade).

Fechei só a cortina branca, fiz caras e bocas, gritos e gemidos, rodava o chicote pra lá e pra cá tentando imaginar o que as moças estariam pensando, claro. Parei quando achei que já tinha sido o suficiente. Liguei a luz, abri a cortina e... Surpresa!!!! A janela deles estava fechada sem uma única frestinha que fosse.

Isso já tem dois meses, nunca mais vi aquela janela aberta. Certamente eles devem estar orando pela minha alma perdida...

8 comentários:

DarwinistO disse...

Sua pecadora dos infernos!!!!!!!!!!

Nat disse...

Algo me diz que vc está com inveja dos evangélicos, Darw !!!!

Ricardo C. disse...

Desconfio do mesmo, Nat, enquanto ainda sinto as dores... das gargalhadas que dei, hehehe!

nada será como antes disse...

Ótima solução, Nat.

jucatio disse...

apenas 1 comentário:

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

E tenho dito...

Clara disse...

Grande mulher!!! Como aqui em Portugal se diz: és uma mulher de tomates. Não, não é um insulto, é mesmo um ilogio! Para grandes males, grandes remédios!

Beijinhos

Anônimo disse...

no fundo eles estavam querendo se perder junto com você ;-)

Omega disse...

OUsado e sincero, hum, gostei...
Faia o mesmo, se fosse uma garota muito sexy é claro