30.5.08

Devaneios agradecidos.

Nunca acreditei em Deus. Talvez num remoto esquema de energias positivas e negativas. Como funciona, faço a mínima idéia, tenho cá minhas elocubrações a respeito. Guardo-as só pra mim.
Só sei que às vezes eu tenho uma puta vontade de agradecer. Agradecer pra caralho.
Aí de vez em quando eu entro numa igreja, fora do horário da missa, olhos pros vitrais, pros entalhes da porta, aquele silêncio, o eco dos meus passos.
Sento no banco e murmuro baixinho um Muito Obrigada.
Vai saber por quê? Não sei, só sei que é assim, e faz um bem danado.
Talvez enfiar a cara na janela e gritar Obrigada faça o mesmo efeito.
Vou tentar na próxima, tenho muito a agradecer ainda...

4 comentários:

nada será como antes disse...

Você é, mesmo, uma doçura de gente.

Samoça disse...

Oi Nat,

Nunca acreditei na hóstia. Um biscoitinho fino de massa de trigo sem fermento. Mas adorava ver o padre consagrá-la na missa. Um ritual que eu apreciava.
Nunca resisti à hóstia. Talvez pela sensação de pecado que ela me dava.
Não se sabe nunca o que emociona intimamente uma pessoa, a que ela recorre para conquistar serenidade.
Eu agradeço também, muito menos do que deveria, talvez por quanto anda a cotação de Deus em minha vida.

Como sempre... adorei seu devaneio.
Da fã, Samoça.
Beijo.

pingwyn disse...

eu tambem nao resisto a uma igreja vazia, sem ninguem...no silencio.
minhas preferidas sao as de estilo gotico, tao altas que permitem agente crescer indefinidamente...
nessa parte do mundo tem tantas..e eu nao me canso de entrar, sentar e ficar a pensar...
quantas historias, quantas vidas, quantas tragedias, quantas alegrias essas paredes "viveram"
e sempre agradecer poder estar ali, sendo a pessoa que sou, tendo o passado e a familia que tive e podendo ser a continuacao dessa historia com os meus filhos.

sua fa #2

Clara disse...

Não será desta forma que Deus gostaria que agradecessemos?

Beijinhos.