31.5.08

Devaneios reclamões

Procuro sempre me dar conta do que tenho a agradecer, e tenho muito, mas tem muita coisa da qual eu adoro reclamar.
Me controlo pra não virar uma pessoa reclamona, porque nada mais chato do que alguém o dia inteiro reclamando do seu lado.
Gosto dos pequenos gestos de afago, de carinho, ainda que sejam resumidos a uma risada cordial no começo do dia, que às vezes só quer dizer: Cara, tou de mau humor, mas te adoro, então sorrio pra você, mesmo sem querer sorrir pra ninguém.
Amo isso! Meu chefe, por exemplo, é tricolor mas outro dias estava cantando músicas do Flamengo ao meu lado. Aí eu questionei: Chefe, porque você tá cantando música do Flamengo? Aí ele respondeu, Cara, não posso te dar aumento, nem folga, pelo menos vou te animar cantando as músicas do seu time, que ganhou ontem.
Isso não tem preço...
Estou em época de provas na faculdade, geralmente época de stress, de confusão, de mau humor total e irrestrito. Ainda mais que meu curso mudou há pouco tempo, e sobraram para o último semestre as matérias mais teóricas possíveis: Marx, Weber, Platão, Sócrates e afins... Muita filosofia pra alguém que já tem alma filosófica.
Minha sorte é que sempre tive base nesses assuntos de papos de bar mesmo, aquelas minhas filosofias de buteco sempre deram a sorte de encontrar interlocutores que pudessem adequá-las a uma corrente de pensamento qualquer da nossa história. Isso sempre me fez aprender muito.
Mas sempre que começamos a questionar algumas questões essenciais, e por isso teórico-filosóficas, criamos muitos motivos pra reclamar dos outros, das atitudes dos outros.
Como não gosto de abrir a janela pra reclamar de ninguém, tampouco fico engolindo sapos, minha parte prática resolve tudo na hora mesmo. Mas, como sempre na vida tem um mas, minha ironia, associada com o meu sarcasmo, às vezes tem que ficar de fora dessa.
É uma via de mão dupla, como abster-se da ironia para falar sério, se a princípio, ninguém vai achar que está falando sério?
Me irrito quando exponho minha opinião, e o outro, que não concorda comigo, manda uma tirada irônica qualquer e a deixa solta no tempo e no espaço.
Tô aproveitando o blog pra reclamar das pessoas que, quando não concordam com as outras, preferem subjulgá-la do que discutir (veja bem, discutir civilizadamente) as idéias que o outro apresenta.
Precisamos ser mais ouvidos e menos boca. Eu tento, sempre.

7 comentários:

pingwyn disse...

as vezes eu acho que deveriamos ser so ouvido sem boca....
acho que ouvido so escuta quando nao temos boca.
um beijo grande e um wow de domingo!!

Nat disse...

Foi um wow de Domingo sim Gwyn, vi milhões de DVDs pq aqui tá um frioooooo
Minha tia sempre diz que nosso Ap é Londrino, ela morou em Londres muito tempo e adora o friozinho que faz aqui dentro hehehe
bjs

Dona Sra. Urtigão disse...

mesmo cheio da tal filosofia,e da falta de diálogo, se não leu, leia Shoppenhauer: mostra porque, em "A Arte de ter Razão.

Bruno Stern disse...

Alguém leu meu comentário lá? Que bom.
Eu evito comentar lá devido ao bando de retardados que comentam 300 vezes cada assunto.

Eu bem já tinha lido aqui, mas sem nada para comentar. Até vi que tens link no PD. Muito importante.

Um beijo.

Samoça disse...

Oi Nat,

Reclamação, não sei fazer e quando tento... enfio os pés pelas mãos. Não sei.
Agora... aguentar quem vive reclamando de tudo... Eu não aguento. Mal humor então... tenho fobia.

Beijo!
:)

Brancaleone, o engessado... disse...

Não sei qual dor é mais dolorida:
Se aqui curtindo minhas quebradeiras decorrentes dos arroubos duma juventude tardia sobre uma moto de trilha (DT 86) ou ter ficado uns dias ( que pareceram milênio) sem cá vir, espiar a fotinho no cantinho...

Clara disse...

Boa sorte para as provas!

Beijinhos.