10.5.08

Pausa para uma meditação...

O Yoga Nidra é uma técnica de meditação de origem tântrica, adaptada para o ocidente pelo mestre iogue Swami Satyananda. Seu principal objetivo é, através de várias técnicas de relaxamento, concentração e meditação, atingir níveis profundos do subconsciente e inconsciente, buscando integrá-los à sua personalidade. Para esse fim cada meditação tem a duração de 45 a 60 minutos, em um total de 5 a 10 práticas sequenciais, de níveis crescentes de aprofundamento. Veja abaixo um texto em que Swami Satyananda dá uma pequena introdução sobre o assunto e explica porque resolveu desenvolver esta poderosa técnica.


Yoga Nidra por Swami Sathyananda
(tradução livre do livro Yoga Nidra de Swami Sathyananda)


Introdução:

O Yoga Nidra, o qual é originado dos Tantras, é uma poderosa técnica na qual você aprende a relaxar conscientemente. Em Yoga Nidra, o sono não é considerado como relaxamento. As pessoas em geral pensam que estão relaxando quando se esparramam num confortável sofá com um copo de café, uma bebida ou um cigarro e lêem o jornal ou assistem televisão. Porém, isso nunca será considerada uma definição científica de relaxamento. Isto são apenas distrações sensoriais. O verdadeiro relaxamento é, na verdade, uma experiência bastante distante dessa idéia. Para um completo relaxamento você deve permanecer atento. Isto é Yoga Nidra, o estado de sono dinâmico.
Yoga Nidra é um método sistemático para a indução de um completo relaxamento físico, mental e emocional. O termo Yoga Nidra é derivado das palavras em sânscrito yoga, que significa união ou consciência unificada, e nidra, que significa sono. Durante a prática de Yoga Nidra, a pessoa aparenta estar adormecida, mas a consciência permanece funcionando em um nível mais profundo de atenção. Nesse estado limítrofe entre o sono e a vigília, o contato entre as dimensões subconsciente e inconsciente ocorre espontaneamente.
Em Yoga Nidra, o estado de relaxamento é alcançado pela introspecção, afastando-se das experiências externas. Se a consciência puder ser separada do estado desperto exterior e do sono, isto se torna muito poderoso e pode ser aplicado de muitas maneiras, por exemplo, para desenvolver a memória, incrementar o conhecimento e criatividade, ou transformar a natureza da pessoa.
No Raja Yoga de Patanjali existe um estado chamado de Pratyahara, no qual a mente e a consciência são dissociados dos canais sensoriais. Yoga Nidra é um aspecto de Pratyahara que alcança os mais altos estados de concentração e samadhi1.


O Nascimento do Yoga Nidra

Aproximadamente 35 anos atrás, quando vivia com meu guru, Swami Shivananda, em Rishikesh, tive uma importantíssima experiência que despertou o meu interesse em desenvolver o conhecimento do Yoga Nidra. Eu havia sido indicado para cuidar de uma escola de Sânscrito onde meninos aprendiam a cantar os Vedas. Era meu trabalho permanecer acordado a noite toda para vigiar a escola enquanto o Acharya2 estava fora. Às tres da madrugada eu costumava cair em sono profundo, e às seis eu poderia levantar e retornar ao ashram3. Nesse ínterim, os meninos já tinham levantado, tomado banho e cantado suas orações em sânscrito, mas eu nunca os ouvi.
Algum tempo depois, meu ashram estava promovendo um grande evento, e os meninos dessa escola de sânscrito foram trazidos para cantar os mantras védicos. Durante a apresentação, eles recitaram certos slokas4 que eu não conhecia, mas alguma coisa me dizia que eu já os tinha ouvido. Eu estava totalmente certo que nunca os tinha lido ou escrito, apesar de me soarem tão familiares.
Finalmente, decidi perguntar ao guru dos meninos, que estava sentado próximo a mim, se ele poderia explicar o significado daquilo. O que ele me respondeu mudou totalmente minha visão de mundo. Ele disse que essa sensação de familiaridade não era de todo surpreendente, porque meu corpo sutil permanecia ouvindo os meninos cantando os mesmos mantras todas as vezes que eu estava dormindo naquela escola. Isso era uma sensacional revelação para mim. Eu havia aprendido que o conhecimento é transmitido diretamente através dos sentidos, mas por essa experiencia eu percebi que também se pode obter conhecimento direto sem nenhum meio sensorial. Assim foi o nascimento do Yoga Nidra.
A partir dessa experiência, outras idéias e insights chegaram a minha mente. Percebi que o sono não é um estado de total inconsciência. Quando a pessoa está adormecida, permanece um estado remanescente de potencialidade, uma forma de consciencia que é desperta e totalmente alerta para os eventos exteriores. Eu descobri, pelo treinamento da mente, que é possivel utilizar positivamente esse estado.
(...)


1Estado último de identificação com o Absoluto, “iluminação”.
2Acharya: professor, preceptor.
3Ashram: local estudo e de morada dos iogues, espécie de mosteiro.
4Sloka: verso em sânscrito

Tirado do site do Ricardo Coelho, meu professor de yoga.

Um comentário:

Ricardo disse...

Obrigado pela divulgação Nat. Só agora vi seu comentário no meu outro texto - pode publicar sim. Ficarei lisonjeado. Um grande abraço procê, minha blogueira favorita!