15.6.08

Devaneios madrugais...

Queria um dia acordar Ney Matogrosso.
Meu sangue latino me pouparia do vexame de morrer tão moço, e meu sangue cativo me libertaria na cauda de um pavão misterioso.
Tudo é mistério, e as aparências continuam enganando, até aos que odeiam.
Queria um dia acordar Ney e dormir alguém.

--- x ---

Ela escreveu meia dúzia de palavras no bilhete, se olhou no espelho, enxugou os olhos, a alma, e saiu.
Não tinha se dado conta que a mudança estava tão enraizada no seu ser. A coisa começava como uma fagulha, seguida de um grande choro, por conta de uma grande perda. Toda vez que pensava em mudar alguma coisa, acabava repensando aquilo que achava ruim, e seguia por mais um tempo.
Uma hora o repensamento não funcionava mais, e alguma coisa lá dentro mudava. Tentava controlar o mudar, porque quando o repensamento se tornava sensação, a mudança já tinha acontecido e nem se dava conta.
No espelho a imagem era igual a de sempre. Só quando o se dar conta saiu de dentro é que percebeu que jamais seria a mesma novamente.

5 comentários:

Brancaleone disse...

Pois eu quero acordar eu mesmo e dormir num "menage": Eu, eu de novo e minha mulher...
Eu me amo tanto que até sobra amor para outras pessoas...

Clara disse...

Palavras deliciosas...

Beijinhos.

Samoça disse...

Oi Nat,

Eu quero fazer dormir alguém que terei um dia. Depois eu durmo... Acordar com a certeza que existe ele e eu.

Devaneio gostoso o seu...

Beijo.

Pax disse...

Adorei o texto. Super bem escrito, poético. Parabéns sobrinha !

Nat disse...

Obrigada, amores. Um beijo grande.