17.7.08

Poemeto brega

Nas calças das suas pregas me agarrei,
me perdi, como se perde
um grão de açúcar no amargo fel
das suas ventas.
Nas banhas das suas cintas me abracei,
me perdi, como se perde
uma gota de suor na pele
das suas rendas.
Nas terras das suas raízes me entranhei,
me perdi, como se perde
o tronco largo no viscoso sêmen
das suas prendas.

2 comentários:

Pax disse...

Gostei.

Mas porque você anda sumida?

É por causa daquele carinha?

Nat disse...

Não sumi não, Pax, nem tem carinha nenhum na história hehehehe

Tou só de saco cheio!
Bjs