14.8.08

A Máquina

Ultimamente percebi que preciso tomar cuidado com as histórias que conto. Já há muito que tenho fama de mentirosa, e só alguns poucos amigos sabem que, na verdade, eu só gosto é de repassar as inúmeras e infinitas informações inúteis (nem tanto) que acumulo por aí. Poucas pessoas conseguem acreditar que alguém seja tão viciada em informações, notícias e estatísticas sobre qualquer coisa (mesmo!) como eu. Mas eu sou.

O que eles não sabem é que meu slogan preferido é requentado: Eu aumento, mas não invento...

---

Pensando nessa minha coleção de coisas não muito importantes acumuladas, me lembro de um médico que eu não sei o nome que diz que essa coisa do ser humano usar pouco o cérebro é tudo balela. Precisamos mesmo é usá-lo bem.

Isso me faz perceber que o ideal seria que pudéssemos dar uma esvaziada nos cookies da memória de vez em quando. Espero esse dia chegar com ansiedade!!!!

---

Esse papo aí de cima de esvaziar o cérebro me lembrou uma frase de uma amiga no MSN. Era Esvaziando meu HD! Prontamente eu a corrigi dizendo que era melhor ela colocar Trocando a memória ROM.

A gente não precisa apagar os arquivos salvos. Importante mesmo é trocar aquela pecinha que faz o programa funcionar da mesma maneira sempre.

2 comentários:

Ricardo C. disse...

Temática semelhante, approach diferente...
Vai um pouquinho de melancolia aí?
:-)
Beijão

charlie disse...

Bom, eu também passo por situações parecidas. Hoje em dia isso é mais fácil de se lidar, e quando acontece é na brincadeira, mas já teve época de ser sério...

A opinião desse médico está certa mesmo. Gostei da analogia com o computador. Metáfora techie! :)