27.9.08

Quando se perde a paciência...

Eu nem tenho mais desculpas por não estar escrevendo com frequência por aqui, então vou me limitar a contar um causo que aconteceu comigo essa semana, só pra registrar o quão esquisitas podem ser as pessoas... Incluindo euzinha aqui...

Chove torrencialmente... Agência nova, hora de almoço, resolvi sair pra fumar na rua pra não ter que interagir com as pessoas.
As pessoas correm, fugindo da chuva, ou andam com suas armas-guardas-chuva prestes a furar um olho de um passante distraído.
Eu, embaixo da sacada enviesada e nada protetora, calmamente acendo meu cigarro.

_ Olá, posso falar uma coisa?
_ Não.
_ É que eu fumei por muitos anos e...
_ Já disse que não.
_ Mas é que eu tenho experiência com isso e...
_ O senhor não me ouviu? Eu disse não.
_ Mas, entenda, eu quase morri e...
_ Se o senhor quase morreu eu não sei. O que sei é que não aprendeu o que quer dizer um não.
_ Desculpe, eu não queria incomodar...
_ Mas tá incomodando!
_ É que eu queria dizer...
_ O senhor é insistente.
_ É que uma garota tão nova não deveria fumar e...
_ Cacete, o senhor está surdo? Eu disse que não quero ouvir o senhor e agora meu cigarro está acabando e eu não prestei atenção nele, e isso significa que se eu não prestei atenção nele, meu cérebro não registrou que eu fumei, então eu vou apagar esse e ter que acender outro, e pra acender outro eu vou ter que ir lá dentro buscar outro no maço, e pra isso eu vou ter que passar por uma porta de vidro, uma porta giratória, subir uma escada, digitar a senha pra abrir uma porta, andar por dois corredores, depois digitar outra senha pra abrir outra porta, depois vou ter que pegar a chave do meu cachorrinho, abrir a gaveta, pegar a bolsa, abrir a bolsa, abrir o bolso da bolsa, pegar o maço de cigarros, pegar um cigarro, fechar o bolso, guardar a bolsa, trancar a gaveta, guardar a chave, apertar uma campainha pra abrir uma porta, andar por dois corredores, apertar outra campainha, descer uma escada, passar por uma porta giratória, uma porta de vidro, e vir aqui, no meio da chuva, acender outro cigarro, porque eu estava fumando quando um idiota, babaca e imbecil como o senhor ficou me enchendo o saco pra eu não fumar e acabou me fazendo fumar dois cigarros em vez de um... Satisfeito?
_ Nossa, como você é grossa. Vou embora...
_ Amém!

8 comentários:

Samoça disse...

Muito bom, Nat... ri muuuuito!! rsrs...

Beijo.
:)

Gwyn disse...

Fazia tempo que nao "via" uma situacao dessas..
Aqui voce pode estar andando nua no meio da neve e ninguem vai dar um palpite que for..Ate mesmo quando se pede um palpite eles nao dao...
E, se por um milagre da natureza alguem aparecesse e falasse algo..(aprendi com eles) voce olha, como nao olhando, com aquele olhar meio perdido em outro mundo meio que estou aqui nao estando por alguns minutos...e nem e preciso abrir a boca para emitir uma palavra..
Pode ter certeza que da certo..

A fascinante diferenca de culturas ;))

Alexandre A. disse...

Essa foi ótima Nat.

kkkkkkkkkkk

Ultimamente quando aparece alguém pra encher o saco quando estou fumando olho bem nos olhos do cara, puxo o maço do bolso e digo "-quer um?", não sei o que rola, algum psicólogo deve explicar, o interlocutor fica surpreso, agradece, estala os olhos e sai de fininho.

hehe

Proftel

:-)

Nat disse...

Samoça, sim, foi bem engraçado depois que soltei isso tudo pra cima do cara...

Gwyn e Alex, acontece praticamente todo dia de alguém vir me importunar enquanto eu fumo. Normalmente eu finjo que ouvi mas entra por um ouvido e sai pelo outro... Mas nesse dia eu tava sem saco, aí já era...

Kct disse...

Mas eu ainda acho que vc devia parar de fumar!

Anônimo disse...

Tenho uma proposta para você parar de fumar: cada vez que você tiver vontade de fumar, me dá um beijo na boca.

nada será como antes disse...

Muito bom, Nat.

Passei por situações semelhantes e este post poderia ilustrar o do meu blog no início de setembro.

Nat 3 X 0 Cara chato

Dona M. disse...

Adorei!