23.11.08

tijolos e tropeços

O caminho não era de tijolos amarelos, nem uma música famosa entoava no ar feito mágica de sonoplastia moderna. Ela também não vinha saltitante, mas mesmo assim tropeçou. E se apaixonou.

Hoje anda por aí de braços dados com o tropeço, cuidando pra não pisar no lado preto ou no lado branco da rua, ao acaso. Agora saltitante, confia no apoio para não tropeçar de novo, mas esquece que ele também pode tropeçar...

Nenhum comentário: