24.2.09

Tô me guardando pra quando o carnaval chegar...

É difícil não falar de carnaval no carnaval... Eu acho que é porque é muito estranho ser alguém estranho ao carnaval. A alguns poucos, que conseguem manter um olhar crítico nesta data, o carnaval certamente é a melhor época para gerar desconforto.


O que realmente me incomoda no carnaval é essa sensação de urgência, o Brasil inteiro para pra curtir o que deixou de curtir no ano passado e o que deixará de curtir no resto desse ano. E se você não entra no esquema folia-pegação-loucura, você é logo visto como um ser de outro mundo e não de outros gostos... Ora, meu carnaval é o ano inteiro. Tenho essa paixão por curtir e por viver a vida plenamente o ano inteiro. Serei eu a errada nessa história?

Neste carnaval conversei com meu amigo, Adamastor Goldman, justamente sobre esse incômodo que toma conta de todo meu ser quando um amigo vira pra mim e me diz, pô, anima aí... Não basta eu ter saído sexta, sábado e domingo. Se eu tirei a segunda-feira pra arrumar minhas coisas e ficar o dia inteiro trancada dentro de casa, eu sou uma louca. Pior e mais inacreditável ainda, uma desanimada... 

Eu realmente espero um dia entender o que é "ser animado" para as pessoas. O que elas entendem por animado? Algo do tipo ridículo, infantil e idiota que sai por aí cantando marchinhas de carnaval em altura estridente e jogando aquele odioso spray de espuma na cabeça das pessoas que só serve para grudar confete amassado, que junta com o suor do pula-pula-todo-mundo-junto até formar lama nos cabelos?

O Dama ficou sensibilizado com a minha dor e me confessou que vai aos blocos e fica lá só observando, que é o que gente normal como eu e ele gostamos de fazer, e sempre aparece alguém que fala "Anima aí, po" ou então diz "nossa... você fala taaaaaanto!!!!" e chacoalha o corpo dele como se tivesse que dar corda no brinquedinho insosso. 

Concordamos veementemente que não há nada pior do que ser "animado" por alguém e para demonstrar toda nossa revolta eu sugeri a ele que criássemos, inspirados no Vem ni mim que eu sou facinha, o bloco carnavalesco "Sai de mim que eu não me animo", mas o Adamastor logo me convenceu que havia um nome melhor: 

"Não me chacoalha que eu esporro"

3 comentários:

João disse...

Opa!!!!! Eu me ofereço pra ser o terceiro membro (sem duplo sentido) deste bloco, ok? Mas sem chacoalhar, por favor, porque se chacoalhar muito eu gozo!

Nat disse...

Ô João, seja bem vindo ao bloco! E sinta-se à vontade, afinal, é carnaval... ;- )

Dona M. disse...

Aha! Eu entraria...

Mas, no carnaval, animado = dançar axé guiado pela ivete sangalo + beijar um número de pessoas que nem você vi se lembrar depois.

¬¬'