4.6.09

Viradão Carioca

Pela primeira vez, o Rio de Janeiro será palco de um grande evento multicultural com 48 horas seguidas de intensa programação gratuita ou a preços populares. Criado e coordenado pela Prefeitura do Rio, através da Secretaria Municipal de Cultura, o Viradão Carioca ocupará diversos pontos da cidade - entre praças, ruas, teatros, cinemas, bibliotecas, lonas e centros culturais - com shows, peças, concertos, exposições, leituras, performances, filmes, literatura e circo, entre os dias 5, 6 e 7 de junho. O Viradão tem apoio institucional da Globo Rio e a parceria do Sistema Globo de Rádio e da Infoglobo.

Boa parte dos cerca de 300 eventos programados acontecerá em locais abertos, como os quatro "palcões" na Praça Quinze, Santa Cruz e Madureira. Ou ainda nos palcos itinerantes - Viramóvel e Palco sobre rodas - que passarão por bairros como Campo Grande, Pavuna, Méier, Bangu e Leme. A programação ao ar livre se espalha ainda por ruas e praças, como a Rua do Mercado, Praça Tiradentes, Praça do Méier, Praça Afonso Pena, Praia de Copacabana, Lapa, Viaduto de Madureira, entre outros. "A rua é a grande vocação do carioca, que não gosta de praça vazia. O Viradão mostra uma meta da nossa gestão, que é fazer da cultura uma forma de reflexão e transformação da cidade. Nosso lema é a cultura como um direito à cidade e ocupar a rua e os espaços públicos é um passo em direção a isso", diz a secretária de Cultura, Jandira Feghali.


Cada um dos quatro palcos principais terá um perfil temático que norteará a programação dentro de um conceito específico. As Lonas Culturais da Prefeitura, espalhadas pela Zona Norte e a Zona Oeste, também serão temáticas. A idéia do nome 'Viradão' é não só a de 'virar' duas noites com programação ininterrupta mas 'virar' a cidade culturalmente, apresentando ao público da Zona Sul, eventos e artistas da Zona Norte; ou da Zona Oeste no Centro.

Assim, o palco da Praça Quinze - onde o 'Viradão Carioca' começa, no dia 5, sexta-feira, às 21h, com shows de Dudu Nobre, MartNália e "virada" com Marlboro e outros DJs - terá como tema 'O Rio de Janeiro, fevereiro e março', e receberá a música carioca por excelência, do samba ao funk, do pop à MPB.

No palco de Santa Cruz serão celebrados 'Maestros Soberanos' de ontem e hoje, como Tom Jobim, Nelson Cavaquinho e Heitor Villa-Lobos.

Na quadra da Portela, em Madureira, o palco 'No reino de Luiz Gonzaga' leva para a terra do samba os ritmos nordestinos, com apresentações de grandes nomes da MPB e grupos de forró.

PRAÇA TIRADENTES E SÃO CRISTÓVÃO NO ROTEIRO

O entorno da Praça Tiradentes se transformará no Pólo Contemporâneo Tiradentes, com shows, musicais, exposições e performances. A programação inclui o Teatro Municipal Carlos Gomes - que além de sua programação regular sediará um grande show de MPB e a abertura do Ciclo de Leituras Nelson Rodrigues - e o Teatro João Caetano, da rede estadual de teatros, que sedia o festival de música 'Rio Follie Journée'. No sábado, às 11h será montada na Praça Tiradentes uma exposição de grandes artistas plásticos contemporâneos, coordenada pela Gentil Carioca, galeria de Ernesto Neto, Marcio Botner e Laura Lima. Em seguida, uma 'batalha' de DJs nas 'juke box' da rua Luís de Camões, nas cercanias do Centro de Artes Hélio Oiticica, vai agitar a região.

Uma outra "batalha" - a dos repentistas contra os rappers - vai animar a noite do Centro de Tradições Nordestinas, o Pavilhão de São Cristóvão. A entrada da cultura "hip hop" no Pavilhão, habituado a receber eventos ligados à cultura nordestina, como a festa junina que sediará também no mês de junho, espelha a troca de conceitos proposta pelo Viradão para cada espaço.

Os equipamentos culturais da Prefeitura vão estar todos tomados pelo Viradão: no Planetário, na Gávea, leituras literárias e teatrais com grandes nomes da TV e do teatro vão se misturar a um show ao ar livre, tendo a cúpula da instituição como pano de fundo. No Castelinho do Flamengo, projeções na fachada vão celebrar as imagens que fizeram a história do Rio, pertencentes ao Arquivo da Cidade. No Parque das Ruínas, as VJ Nights vão transformar a área ao ar livre em pista de dança, com vista privilegiada da cidade. Na Tijuca, o Centro Coreográfico terá programação intensa, que vai se espalhar pelos palcos itinerantes da cidade com grupos como Cia Urbana de Dança ou a Arquitetura do Movimento. No Centro de Referência da Música, o roteiro inclui a exibição de "Contratempo", filme de Malu Mader, com a presença da atriz para um debate.

CINEMA NA PRAÇA, ORQUESTRA NA IGREJA

O projeto Cinema na Praça vai se espalhar por várias regiões da cidade. O roteiro de cinema inclui ainda as salas de exibição da Riofilme, caso do Cine Glória, no Memorial Getúlio Vargas, que vai virar a noite com sessões consecutivas de cinema, até o raiar do dia. Em uma parceria com o evento, o Grupo Estação também vai realizar uma Super Maratona no Odeon, convidando os cinéfilos a abrir mão da noite de sono.

A Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) vai dar dois concertos gratuitos na Igreja da Candelária, lembrando com "A criação" os 200 anos da morte de Haydn. Grandes nomes do teatro e da literatura serão celebrados nas bibliotecas municipais e nos centros culturais. O Ciclo de Leituras Nelson Rodrigues, criado em parceria com a Globo Rio, começa com um "corujão" - a sessão de 23h de sexta-feira no Carlos Gomes - e se distribui em outros teatros da Rede Municipal e nas Lonas Culturais, com grandes atores da Rede Globo revisitando os episódios de "A vida como ela é".


A RUA PARA TODOS

A festa continua na rua, o grande palco do Viradão Carioca. O bloco Cordão do Boitatá, famoso por seu desfile no domingo de carnaval, na Praça Quinze, ocupará a região em dose dupla: no sábado, coordena na Rua do Mercado um Arraial para Santo Antônio, primeiro santo junino, com a presença do Rio Maracatu e da cantora Clara Becker e barraquinhas de quitutes. No domingo, às 8h, faz a Alvorada com o Boitatá no Palcão Praça Quinze.

No Méier e na Praça Afonso Penna, na Tijuca, "estátuas vivas" vão mostrar para o público passante um pouco da obra de Rodin e Camille Claudel, numa homenagem ao Ano da França no Brasil. Os monumentos arquitetônicos franceses serão o tema do concurso de escultura de areia que vai se realizar na Praia de Copacabana.

No domingo, a orla se agita com dois desfiles: no primeiro, as bandas da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e dos fuzileiros navais se reúne para um grande concerto no Forte de Copacabana, depois de marcharem ao lado do público. Depois dos militares, é a vez dos grupos artísticos formados pelas Lonas Culturais da periferia mostrarem seus trabalhos para os banhistas. Oficinas com a bateria e a bateria mirim do Império Serrano vão ser oferecidas no Bairro Peixoto e no Parque da Catacumba. "A ocupação da rua vai dar o tom da nossa gestão. O Viradão é um cartão de visitas", explica Jandira Feghali.