3.12.09

Ataque de Pânico

Estava dando umas voltas lá pelo blog do André Blak quando me deparei com este vídeo que ele postou... Grata surpresa, muito bem feito!


Segue o texto do André sobre o curta:

"Alguns inocentes “golpes” de marketagem dão certo… Fede Alvarez, um publictário uruguaio de 30 anos, juntou alguns amigos bambas em computação gráfica para realizar esse curta-metragem de 5 minutos. Alegou ter gasto 500 dólares na realização do filme (me engana que eu gosto!) e botou pra circular na rede há 2 semanas atrás. O vídeo já é hit no youtube e vai quebrar a barreira de 1 milhão de views logo, logo.

Não é pra menos. Num país onde a tradição cinematográfica é quase nula, ver esse ATAQUE DE PÂNICO causa, de imediato, o espanto absoluto. É irretocável e assustador! Se as marcas Steven Spielberg ou Roland Emmerich estivessem no curta, ninguém ia duvidar da procedência. Um roteiro bobinho que serve de fio condutor para mostrar em 5 minutos Montevideo sendo invadida por robôs gigantes. NADA TOSCO! É de um rigor técnico e estético capaz de deixar qualquer criador de blockbuster hollywoodiano de cabelo em pé. Tanto que os direitos do curta já estão sendo disputados a tapa por alguns dos maiores estúdios americanos. Aguarde porque, em breve, teremos um longa sci-fi arrasa quarteirão comandado por um ermano uruguaio.

Mas dizer que só custou 500 dólares é sacanagem, né não?"

2 comentários:

Andre Blak disse...

...e eu estava dando umas voltas pelo seu blog e me deparei com isso! Valeu pelo merchan! :P

Aliás, já visitou o meu outro (e novo) blog? Menos cinema, mais mau humor... Tão bom que tem o seu Devaneios entre os links favoritos! (desculpa, só agora reparei que tem as mesmas cores do seu)

www.inferozmente.blogspot.com

nada será como antes disse...

Os efeitos são de boa qualidade e ganham bônus extra se é verdadeiro o orçamento.

O produtor tem, realmente, boas chances entre os ianques, que adoram a linha destruição/pânico.

Outro dia encontrei o trailer de "Amarcord", de Fellini, realizado para o mercado dos USA. Em menos de 2 minutos, que desfiguraram o lirismo do filme e destruiram sua temática, os norteamericanos conseguiram expor a estupidez que norteia sua "cultura".